Controladoria-Geral do Município recebe R$ 194 mil e renova sua estrutura tecnológica

A Controladoria-Geral do Município (CGM) de Porto Alegre recebeu R$ 194,2 mil para compra de computadores e outros equipamentos de informática. O recurso foi destinado pelo vereador Ramiro Rosário (PSDB) por meio de duas emendas impositivas ao orçamento municipal. A entrega dos equipamentos foi na terça-feira, 19 de outubro.

Com os recursos, foram adquiridos 27 notebooks, webcam (13), monitor LED 27 polegadas (5), estação de trabalho avançada (5), licenças do Microsoft Standard (28) e licenças do Microsoft Office 365 (110). “Com esses novos equipamentos, renovamos a metade da nossa estrutura tecnológica”, disse o controlador-geral do Município, Silvio Zago. “Somos a última fronteira antes da responsabilização do gestor público”, lembrou.

O secretário Municipal da Transparência e Controladoria (SMTC), Gustavo Ferenci, disse que é bom saber que um vereador percebeu a importância do trabalho invisível feito pela CGM. “O dinheiro economizado pelo trabalho da Controladoria ajuda a pagar creches e escolas municipais”, ressaltou. 

O presidente da Ascontec (Associação dos Auditores e Técnicos de Controle Interno da Prefeitura Municipal de Porto Alegre), Ricardo Setton, agradeceu a atenção do vereador Ramiro com a CGM. “É com satisfação que recebemos esta qualificação dos nossos equipamentos para podermos cumprir nossa missão de corrigir as ineficiências administrativas em prol da sociedade”.

No ato de entrega, Ramiro afirmou que “o combate à corrupção também se faz instrumentalizando os órgãos de controle. A CGM sempre conviveu com a escassez de recursos materiais para desempenhar de forma mais eficiente o seu trabalho. Agora, a Controladoria está bem equipada para fiscalizar as contas públicas do Município”. O vereador é também autor do Pacote Contra a Corrupção, que virou a Lei 12.827, de 6 de maio de 2021. 

A Emenda Impositiva é o instrumento pelo qual os vereadores podem reservar recursos financeiros do Município para determinadas obras, projetos ou instituições. Todos os vereadores podem indicar cerca de R$ 1 milhão ao orçamento da Prefeitura da Capital. Metade dos recursos deve ser destinada a entidades da área de saúde. O valor total corresponde a 0,65% do orçamento dividido por todos os vereadores.

* Com informações da assessoria de comunicação do vereador Ramiro Rosário.