Controle de financiamentos é responsabilidade da Divisão da Dívida Pública

A Divisão da Dívida Pública (DDP) é responsável pelo controle dos pagamentos da dívida do Município de Porto Alegre e pelo gerenciamento financeiro dos financiamentos. Parte da estrutura da Superintendência do Tesouro Municipal, a equipe integrada pelos técnicos de Controle Interno Carmem Lúcia dos Santos Silva e Fernando Zamboni, pela assistente administrativa Dalva Teixeira Davila, pelo economista Henrique Candano e pelo administrador Eduardo Bernardon.

Carmem Lúcia dos Santos Silva[/caption]

Fernando Zamboni[/caption]

Respondendo pela DDP, Carmem explica que o trabalho desenvolvido consiste no controle do pagamento dos contratos de financiamentos do Município, incluindo a revisão do cálculo, de juros e da amortização da dívida. No caso dos empréstimos internacionais, que é pago com a moeda do financiamento, os profissionais acompanham as variações do mercado financeiro para identificar a cotação da moeda em relação ao Real e identificar o melhor momento para o pagamento. "Quando vê que, por exemplo, o Dólar está muito alto, sinaliza", conta.

O gerenciamento financeiro dos financiamentos efetua o controle financeiro, dos pagamentos às empresas de engenharia e demais prestadores de serviço executantes das obras de Mobilidade Urbana. Para tanto, é feita a validação dos Pedidos de Liberação (PL), a aprovação das Notas de Empenhos no nível intermediário no SDO,  encaminhando os processos à Divisão de Gestão Financeira para pagamento.

A DDP também mantém contatos com as instituições financeiras e demais secretarias municipais, otimizando o fluxo de desembolsos e pagamentos. Além disso, a Divisão da Dívida Pública está representada nas Delegações de Controle do DMLU, DMAE e DEMHAB, bem como o Conselho Gestor do Fundo Municipal do Sistema Cicloviário e o Fundo Municipal do Mercado Público.

Carmem trabalha na área  empréstimos internacionais desde 1998. "É um trabalho bem específico e muito interessante", avalia. Dentre as experiências acumuladas, estão as participações em financiamentos do BID, CAF e Fonplata. Contudo, a profissional demonstra preocupação com continuidade do trabalho. "Gostaria que mais colegas se interessassem. É uma área promissora para a atuação profissional dentro do Município, com  poucos colegas especializados. O que era feito exclusivamente por servidores da PMPA hoje está sendo realizado por consultorias externas", conclui.

Dalva, Henrique e Eduardo