Servidores da Saúde criam recomendação de prevenção à Covid-19 em ambientes de trabalho

Servidores da Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre elaboraram um documento norteador para a prevenção de surtos e cuidados relacionados à Covid-19 em ambientes de trabalho. Confira a versão na íntegra em anexo ao fim desta matéria.

A recomendação tem por objetivo esclarecer as medidas específicas necessárias para a proteção dos trabalhadores, considerando a transmissibilidade da Covid-19 e sua relação com o ambiente de trabalho e as áreas de convívio.

As recomendações descritas estão suscetíveis a mudanças de acordo com a evolução da pandemia na cidade e estão sendo constantemente atualizadas. A primeira versão é de 25 de junho e desde então o documento já passou por duas revisões, sendo a mais recente em 17 de agosto.

As recomendações são sobre como manter distância física entre os profissionais, reduzir aglomerações, priorizar o trabalho remoto ou dividir as equipes de trabalho em turnos distintos.

Consta também no material orientações para higiene dos ambientes de uso comum, como o local de trabalho, refeitórios, banheiros e áreas de circulação, e medidas a serem adotadas por cada um, como higienização frequente das mãos e uso de máscara.

O documento também apresenta uma tabela a ser preenchida por cada servidor, diariamente, como forma de monitoramento de sinais e sintomas suspeitos para Covid-19. Com essa triagem autodeclarada, é possível a identificação precoce do diagnóstico para a Covid-19.

Assim, todos devem ser orientados a se autoavaliar diariamente quanto à presença de febre, tosse, falta de ar ou outros sintomas não específicos indicativos de Covid-19, antes de cada turno de trabalho. O registro deve ser realizado pelo próprio trabalhador em planilhas, digital ou física, e o controle ficará a cargo do supervisor da área.

Na presença de algum sinal ou sintoma, o profissional deve relatar essas informações à chefia imediata, ser encaminhado para avaliação médica e, conforme suspeita, ser afastado de suas atividades por 14 dias a partir da data de início dos sintomas.

A recomendação sugere como estratégia complementar a aferição de temperatura corporal por infravermelho ou equivalente, antes que os trabalhadores iniciem suas atividades.

Faça o download do documento clicando aqui.